29 novembro, 2016

Escola de Saúde da UFRN discute discriminação e direitos humanos



A Escola de Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (ESUFRN) realiza na próxima quarta-feira, 30, das 8h às 17h, no auditório Raimunda Germano, localizado no Departamento de Enfermagem, o evento de extensão Vidas negras importam, que trata do reflexo das iniquidades sociais na vida e na saúde da população negra.


Na programação, estão previstas duas mesas-redondas com temas plurais, dois minicursos e apresentações culturais. Os minicursos têm vagas limitadas e tratam dos desafios e possibilidades das estratégias de cuidado em saúde e dos direitos humanos e a discriminação social sofrida pela população negra. Na programação cultural, vai acontecer apresentação de hip-hop, capoeira, roda de samba e recital.


Participam do evento representantes do movimento negro, movimentos sociais, pesquisadores e docentes do Departamento de História e da Escola de Saúde da UFRN. Entre os temas que serão discutidos estão a violência no contexto macro: homicídios, crimes sexuais, além do combate ao tráfico de drogas e o genocídio da pessoa negra.


Karina Meira, docente da ESUFRN e uma das organizadoras do evento, explica que a importância de discutir o tema é corroborada pelos números da violência no país. “Fizemos pesquisas sobre homicídio e vimos que as maiores proporções ocorrem na população negra e parda, e o mapa da violência mostra que as maiores taxas ocorrem entre os jovens negros nas periferias”, aponta.


De acordo com a professora, que é mestre em Saúde Pública e doutora em Epidemiologia em Saúde, os estudos têm evidenciado um padrão de maior vulnerabilidade de localidades com condições precárias de infraestrutura e de equipamentos sociais. Segundo ela, verifica-se, também, que as características das vítimas de homicídio, no Brasil e no mundo, são, prioritariamente, jovens do sexo masculino, de cor negra, que possuem baixa escolaridade e pouca qualificação profissional, além de residentes em áreas periféricas e empobrecidas.


As inscrições acontecem no local do evento, a partir das 8h, e a certificação será emitida às 17h, para os participantes externos, e via SIGAA, para aqueles que têm vínculo com a UFRN.