|

Atleta potiguar supera adversidades, se revela no MMA e se mantém campeão no karatê

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016



O atleta potiguar Luiz Victor campeão em 2016 dos jogos abertos de São Paulo, pela equipe de Piracicaba, e dos jogos abertos de Santa Catarina, pela equipe de Itajaí, define o ano com a palavra superação. Para ele, foi difícil, por falha da arbitragem empatar uma luta da seletiva nacional para a seleção brasileira. Luiz Victor ainda conseguiu provar o erro, através de um vídeo de um espectador, mas não deu para anular o resultado devido ao prazo de contestação, então acabou ficando de fora dos campeonatos Sul-Americano e Pan-Americano que era o foco principal desse ano. 

“Dai para frente eu refiz minhas metas deixando o MMA como prioridade, aumentando o ritmo de treinos voltados a isso, e reduzindo os de karate, mas ainda assim desejava permanecer entre os melhores do país no karatê, e graças a Deus, consegui me recuperar psicologicamente do revoltante acontecido na seletiva e retomar os trabalhos, tive grande evolução no MMA e consegui atingir meus objetivos também no karate. Então posso dizer que as metas de 2016 foram modificadas, mas atingidas”, avaliou o atleta.

Seguindo seu caminho, Luiz Victor se classificou para a final do Campeonato Nacional de Karatê na etapa classificatória que disputou em Goiás onde conquistou o sétimo título de Campeão Brasileiro, chegando a marca de 16 medalhas nessa competição com sete ouros, três pratas e seis bronzes e, em um evento histórico, em pleno Ginásio do Ibirapuera em São Paulo, um dos templos do esporte no Brasil. O atleta potiguar também foi campeão do Circuito Open Nacional na etapa Rio Grande do Norte e se manteve membro da seleção brasileira. 

Já no MMA deu um salto na carreira ao vencer o Natal Fight Championship (NFC), evento com transmissão em rede nacional que gerou visibilidade ao seu trabalho e impulsionou bastante os planos futuros na modalidade. 

“Estou estudando muito as duas artes marciais para conseguir correlaciona-las ao máximo para que, treinando MMA esteja exercitando meu Karate, e treinando Karate, melhore meu desempenho para o MMA, pois o karatê é a minha maior arma no MMA”, revelou Victor. 

A notícia este ano do Comitê Olímpico Internacional (COI) de que o karatê fará parte do programa olímpico nos Jogos de Tóquio 2020 representou para o potiguar o meio para realização do seu maior sonho. “Antes eu corria, mas não tinha como chegar ao meu maior objetivo, era como se corresse sem destino, porém agora sei que existe o meu tesouro, sei onde ele está, sei como encontrá-lo, e farei isso”. Apesar de ainda não ter nada divulgado sobre qual será o critério seletivo para os jogos olímpicos, Luiz Victor acredita estará entre os nomes cotados na sua categoria, menos de 67 quilos, suas chances são bem reais. 

“2016 foi o ano que me fez sonhar, meu esporte entrando para as olimpíadas e eu com grande chance de estar lá, além de minha evolução dentro do MMA, me fez acreditar e criar expectativa de que posso chegar aos grandes eventos internacionais, me sinto mais motivado, organizado e confiante de que vou alcançar minhas metas. Tenho uma fé inabalável que me traz paz e a certeza de que tudo dará certo, pois Deus está comigo, nasci para isso e esse é o plano do senhor para mim. Com mente, corpo e espírito elevados tenho a certeza de que o ano 2017 será ainda mais vitorioso,  aguardem...”