|

Vereador Kekel começa mandato enrolado com a justiça

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017



Com as contas de campanha reprovadas pela Justiça Eleitoral, o vereador Kekel (PPS) dispara a metralhadora giratória contra o prefeito de Macau Tulio Lemos, sem poupar sequer os cinco vereadores que foram eleitos pela oposição e hoje estão no grupo governista. O que Kekel não contava é que agora terá que provar na justiça as afirmações caluniosas plantadas por ele nas redes sociais.

Nesta quarta-feira, 4, o advogado Luiz Antonio de Freitas deu entrada em duas queixas crimes contra o vereador de oposição. A primeira se refere à acusação de que Tulio “comprou cinco vereadores que eram da base da coligação adversária: Dantas, Lampião, Dinarte, Carlinhos e Italo”.

A postagem do vereador no Facebook não deixa dúvidas quanto à irresponsabilidade de alguém que deveria ter pelo menos respeito por seus colegas e pelo prefeito eleito democraticamente pelo povo. “A irresponsabilidade e o destempero precisam ser combatidos”, diz trecho da queixa crime.

Para o prefeito Túlio Lemos: “Críticas são aceitas e absorvidas, pois o contraditório faz parte do regime democrático”. A defesa do prefeito reforça que o delegado de Polícia Civil intime o vereador a provar o que afirmou irresponsavelmente, “mediante prova documental, testemunhal e demais meios de provas em Direito admitidos”.

Antes, no dia 30 de dezembro passado, Kekel acusou em outra postagem o Prefeito Tulio Lemos de que o mesmo “estaria fazendo algum tipo de negócio com os vereadores Dinarte, Carlinhos do Valadão e Italo com a finalidade de obter maioria na votação da Presidência do Legislativo”. O vereador também responderá processo na justiça sobre essa grave acusação.

Perseguição 
Os crimes cometidos por Kekel se repetem dia após dia nas redes sociais, se configurando como uma verdadeira onda de perseguição contra o prefeito Tulio Lemos. Uma terceira queixa crime envolve o vereador e o cunhado Maykel e diz respeito ao fato dos dois terem usado o Facebook para insinuar “supostos crimes” que seriam cometidos futuramente pelo Prefeito. Os dois ainda reforçaram a calúnia afirmando que “histórico a turma tem pra isso”.

Penalidades
Nas três queixas crime, o advogado de Luiz de Freitas pede que seja determinada a imediata retratação pública pelos envolvidos nas acusações levianas, proporcional ao agravo e que ambos sejam condenados como incursos nas penas dos artigos 139 e 140, todos do Código Penal.