Assembleia Legislativa interliga sistemas gerenciais com software próprio

sexta-feira, 28 de abril de 2017



Crédito da Foto: Eduardo Maia

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte desenvolveu, com equipe própria, um software que vai permitir a interligação de todos os sistemas da Casa garantindo a segurança das informações. A necessidade de atualização do sistema de programação e de modelagem do Banco de Dados se deu a partir de estudos da Secretaria de Informática, que identificou dificuldade de comunicação entre os setores.

“Estamos implantando já agora em maio, o módulo referente à Folha de Pagamento do novo Banco de Dados desenvolvido pelo corpo técnico da Casa Legislativa. O sistema próprio de Recursos Humanos, Folha de Pagamento e Portal do Servidor, reunindo servidores ativos e inativos, integram a Contabilidade, Finanças, Orçamento, Portal da Transparência, Boletim Eletrônico e Módulo de Informações Gerenciais”, explicou o presidente da Assembleia, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), que encaminhou ofício ao Tribunal de Contas do Estado solicitando parceria para avaliação pelo corpo técnico da Corte.

Além do sistema interno, o novo Banco de Dados também integra dados externos como o Sistema Integrado de Auditoria Informatizada para Despesa com Pessoal (SIAI-DP), Receita Federal, Previdência, Consignações, Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) e Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social (GEFIP).

Para o secretário de Tecnologia da Casa, Mário Sérgio Gurgel, que coordenou o desenvolvimento do software com uma equipe de seis técnicos, o sistema até então utilizado na Assembleia era antigo e apresenta dificuldade de interligação. “O novo sistema que vem sendo desenvolvido desde agosto do ano passado, vai garantir celeridade, confiabilidade e segurança na integração com outros sistemas”, afirmou Mário Sérgio, explicando que dados da folha de pagamento, por exemplo, serão acessados automaticamente pela Contabilidade, acabando com o lançamento manual de informações ampliando a garantia de segurança.

Além da velocidade e segurança, o software próprio da Assembleia Legislativa reduzirá custos, já que o modelo utilizado atualmente é terceirizado. “Teremos com o nosso sistema uma redução de custos, mas ganharemos sobretudo pela inovação, modernidade e pelas travas de segurança que ele dispõe”, justificou o secretário geral da Assembleia, Augusto Carlos Garcia de Viveiros. “O projeto é de grande envergadura porque é a primeira produção própria, o primeiro software desenvolvido pela Casa, e além de reduzir custos, permite que a Assembleia possa oferecer o modelo gratuitamente a prefeituras e Câmaras Municipais”, concluiu Viveiros.

Com a parceria do Tribunal de Contas do Estado, o novo sistema da Assembleia também dará acesso aos bancos de dados jurisdicionais da Corte, permitindo a verificação de possíveis acumulações de cargos quando da contratação de pessoal por parte do Legislativo.