|

Crianças e adolescentes promovem campanha em prol das famílias indígenas de Sagi

quinta-feira, 6 de abril de 2017



Crianças e jovens têm participação ativa em ações sociais promovidas
 dentro e fora do ambiente escolar

“Ajudar o próximo é uma demonstração de amor a si mesmo”. O pensamento é da estudante Maria Clara Romano, 15 anos, que vê na bondade uma das ações mais nobres enquanto cidadã. O mesmo sentimento é compartilhado com outros 30 jovens do Colégio Nossa Senhora das Neves, em Natal. Juntos, eles lideram a campanha solidária de arrecadação de alimentos não perecíveis para doar às famílias indígenas que residem na comunidade de Sagi, em Baía Formosa (RN), distante cerca de 90 quilômetros da capital.

“Ser solidário, ajudar o próximo, fazer feliz quem está triste não tem preço”, completou Maria Clara Romano que, no Colégio das Neves, estuda na 1ª série do Ensino Médio e participa do Neves Voluntário. O projeto existe há 17 anos e atua em diversas atividades sociais durante todo o ano, envolvendo pais, Sempre Alunos, professores e demais funcionários.

Além de despertar na comunidade escolar a importância do voluntariado, o grupo Neves Voluntário provoca mudanças nos participantes. Rayssa Silva, 16 anos, está na 2ª série do Ensino Médio e diz que mudou o comportamento após integrar a equipe. “Eu passei a enxergar o mundo de outra maneira. Há pessoas, como as da comunidade de Sagi, que precisam mais do que de um simples sorriso. Ajudar quem mais necessita deve ser a nossa missão de vida”, lembra.

De acordo com a coordenadora pedagógica Silvia Regina Freitas, o trabalho voluntário transforma a escola e estimula os alunos a valorizar a vida. “A instituição de ensino deve ser um celeiro de boas ações. Além de aprender disciplinas em sala de aula, é interessante que meninos e meninas aprendam, na prática, o significado de ser cidadão. Feito isso, todos saem ganhando”, explica.

A campanha solidária de arrecadação de alimentos não perecíveis para as famílias indígenas de Sagi foi um convite da Ordem dos Advogados do Brasil no Rio Grande do Norte (OAB/RN) à escola e se faz necessária tendo em vista que, em meados de novembro a dezembro de 2016, houve a total destruição da lavoura indígena da região após uma empresa de cana-de-açúcar invadir as terras onde índios da aldeia Sagi-Trabanda cultivam alimentos para seu sustento.

Para ajudar, basta procurar a sala do Centro Cívico Escolar Madre Auxiliadora Nóbrega de Almeida (CCE-MANA) do Colégio Nossa Senhora das Neves, localizado na Avenida Coronel Estevam, nº 21, Alecrim, em frente à Paróquia de São Pedro. As doações podem ser feitas até o dia 14 de abril, de segunda-feira a sexta-feira, das 7h às 11h e das 13h às 17h.