|

Crise alavanca empreendedores por necessidade

quinta-feira, 27 de abril de 2017




Empresário e contador, Rui Cadete dá dicas a quem aproveita o momento 
para investir em um empreendimento


Diante da crise econômica que afeta a população brasileira nos últimos anos, nem todo mundo fica lamentando os índices de desemprego: muita gente aproveita o cenário aparentemente desfavorável para apresentar novas ideias ao mercado e avançar no empreendedorismo. 

Há dois tipos de empreendedores: aqueles que iniciam um negócio por necessidade e outros que aproveitam a oportunidade. Em momentos de crise é comum que surjam muito mais empreendedores da primeira categoria, motivados pela redução dos postos de trabalho, além da inflação e a diminuição do poder de compra.

No âmbito empresarial, os empreendedores por necessidade tendem a cometer mais deslizes que podem prejudicar seu negócio. Portanto, o ideal para empreender no momento de crise em que impera a necessidade, algumas dicas podem ajudar a estimular e promover o sucesso do seu negócio.

De acordo com Rui Cadete, sócio-fundador da Rui Cadete Consultores Associados, manter os pés no chão é fundamental. O empreendedor precisa estar atento aos riscos e analisar quais as melhores opções de investimento. “Não se deixe levar pela emoção. Esteja alerta porque haverá dificuldades, mas o importante é ao errar, não desistir e recomeçar, caso haja necessidade. Além disso é importante analisar se vale a pena o investimento: crises econômicas passam e você deve pensar em formas de o seu negócio continuar existindo”, lembra.

Para empreender com sucesso, independente da situação, o empresário deve ser criativo e observar de que o mercado carece. É preciso estudar maneiras de destacar o seu produto. “Não precisa ser algo necessariamente novo, o importante é que o formato seja inovador. Mesmo que determinado produto ou serviço já exista, o empreendedor deve dar uma nova roupagem, por isso insisto em dizer, ser criativo nesse momento é fundamental”, reforça Rui.

A partir do momento da definição do que o mercado precisa é hora de estudar o público consumidor: qual o perfil daqueles que compram sua ideia, como eles se comportam, quais os destinos possíveis que os compradores esperam do seu produto? Tudo isso deve ser estudado e analisado de forma cautelosa. O contador recomenda também que o empreendedor tenha em mente que “em tempos de crise as pessoas tendem a controlar mais os gastos e evitam adquirir novos artigos, portanto seu negócio tem que unir a sua necessidade com a do cliente que está gastando menos”.

Por fim, uma dica essencial que pode parecer menos importante no calor das ideias, mas, para Rui Cadete, é basilar para o sucesso de um novo empreendimento: o cuidado com as finanças desde o início do negócio, e uma atenção especial na formação da equipe que fará parte desse projeto para ter as pessoas certas no lugar certo. “Muitas iniciativas obtêm sucesso e resistem a momentos difíceis por manterem a disciplina no controle financeiro. É preciso colocar todos os custos na ponta do lápis, ter o domínio sobre a saúde financeira do negócio, e ficar atento a todos os prazos estipulados pela legislação. Essa parte pode parecer difícil, mas se torna simples com o auxílio de um profissional especializado”, finaliza o empresário.