17 abril, 2017

SIMPLESMENTE PAUL APRESENTA TURNÊ PELO BRASIL



No começo da década de 80, quatro amigos se reuniram: Celso Anieri (Paul), Ronaldo Paschoa (John), Marcus Rampazzo (em memória - George) e Vitor Bonnesso (Ringo). Nasceu então Beatles 4 Ever, um projeto audacioso e revolucionário para época. O grupo tinha como principais características figurinos de cada fase dos Beatles, conteúdo de vídeo alusivo a cada época (ferramenta nada comum nos anos de 1980) e uma sonoridade muito fiel, com arranjos para orquestra e coral que eram usados em play back durante apresentações de algumas músicas.

Hoje, passadas três décadas da estreia do Beatles 4 Ever, Celso Anieri volta as origens musicais e lança SIMPLESMENTE PAUL, um show único, um musical com grandes sucessos de Paul McCartney. Com realização da Opus Promoções e Natalis Empreendimentos Culturais, a turnê está viajando pelo Brasil e chega ao Teatro Riachuelo no próximo sábado, dia 22.

Anieri se encarrega dos vocais, baixo, teclados, violão, bandolim e ukulele. O show também faz homenagens a John Lennon e George Harrison, parceiros nos Beatles, e a Linda McCartney, cofundadora dos Wings.  Com uma linguagem de musical, o show tem mais liberdade artística e traz interpretações surpreendentes. “O diferencial é você ter no palco uma banda enorme sem que o Celso seja necessariamente o interprete principal, valorizando o espetáculo na parte artística e emocional”, diz o diretor artístico-musical do espetáculo, Walther Neto, da WN Produções.

Um dream team de beatlemaníacos acompanha Celso em “Simplesmente Paul”:  Ana Cristina Santos (violão e vocais), Bia Honda (vocais), Edson Yokoo (teclados e arranjos), Edu Perez (baixo, violão e vocais), Paula Altran (vocais), Paulo Yuzo (bateria, percussão), Renato Molina (guitarra), e Vitor Da Mata (guitarra, teclados e vocais).

Além deles, há uma equipe dedicada que cuida dos recursos audiovisuais do espetáculo. O apelo audiovisual, por sinal, é uma inovação introduzida por Celso na década de 80 nos shows do Beatles 4 Ever. “Além da música, usamos a dança, como elemento cênico para valorizar a trajetória do Paul”, diz Walther.

A concepção do show-tributo a McCartney é algo em que Anieri trabalha desde 2015, quando foi homenageado durante um show da atual formação da banda Beatles 4 Ever. “Fui participar de uma canja e não queria mais descer do palco. Saí de lá pensando em fazer esse tributo ao Paul”.

Crédito: Marcelo Creleci