Vivaldo Costa reforça necessidade de recuperação da bacia leiteira do Seridó

quinta-feira, 20 de abril de 2017


Crédito da Foto:  João Gilberto

Em pronunciamento na sessão plenária desta quinta-feira (20), na Assembleia Legislativa, o deputado Vivaldo Costa (PROS) destacou a participação em reunião na Secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape), oportunidade em que discutiu com o secretário da pasta, Guilherme Saldanha, a necessidade de recuperação da bacia leiteira do Seridó.

“O Seridó tem a maior bacia leiteira do Estado, ou pelo menos tinha antes da seca. Em visita à Sape tomei conhecimento e fiquei entusiasmado com um projeto exitoso do Governo do Estado para ajudar na recuperação da bacia leiteira do Estado”, disse Vivaldo Costa.

A iniciativa do Executivo Estadual tem como objetivo a estruturação desta cadeia produtiva através do fortalecimento da produção primária, da melhoria no processo de beneficiamento e de comercialização dos produtos. Os recursos disponibilizados para esta ação é na ordem de R$ 23 milhões, assegurados, segundo o parlamentar, pelo Banco Mundial.

O foco preferencial da ação será a adequação de queijeiras, concentradas na região do Seridó, com ações visando atender a legislação sanitária vigente e habilitar a comercialização dos produtos nas redes de varejo.

Em aparte, o deputado Hermano Morais (PMDB) reforçou a audiência pública que irá discutir critérios de produção e fiscalização da comercialização do queijo artesanal no RN. O debate, proposto pelo deputado, acontece na próxima segunda-feira (24), às 14h, na Assembleia Legislativa.

Manoel Dantas

Ainda em pronunciamento, o deputado Vivaldo Costa registrou a sessão solene que propôs para homenagear os 150 anos do caicoense Manoel Gomes de Medeiros Dantas, ex-presidente da Academia Norte-Riograndense de Letras. A solenidade está agendada para a quarta-feira (26), às 9h, no plenário da Casa.

Nascido em 26 de abril de 1867, Manoel Dantas foi advogado, juiz, educador, jornalista, político e precursor dos estudos de folclore no Rio Grande do Norte. Publicou trabalhos jurídicos, estudo sobre a origem dos nomes dos municípios potiguares e vários ensaios, reunidos após sua morte sob o título ‘Homens de Outrora’. Faleceu em Natal em junho de 1924.