|

Requisitos para o curso de mediadores comunitários é apresentado em reunião na Câmara Municipal

quarta-feira, 17 de maio de 2017



 A Frente Parlamentar da Mediação Comunitária, coordenada pelo vereador Ney Lopes Jr., realizou nesta terça-feira (16), no plenário da Câmara Municipal de Natal, a segunda reunião com o tema: Você quer ser um mediador comunitário?

Na pauta foram discutidos quais os requisitos para participar do projeto que capacita mediadores comunitários e tiveram início as pré-inscrições. Segundo o vereador, o público alvo são lideranças comunitárias, líderes religiosos, policiais de bairro, guardas municipais, dentre outros, que são pessoas que habitualmente já atuam junto à comunidade auxiliando a resolver conflitos ou exercem influência na tomada de decisões da comunidade.

“Após a formação dos mediadores, as comunidades podem designar, em suas próprias estruturas e de acordo com suas possibilidades, um espaço físico adequado para a realização das audiências de conciliação e de mediação que serão conduzidas pelas pessoas capacitadas nos cursos de formação de terceiros facilitadores”, explicou o vereador.

Os primeiros bairros que terão a capacitação dos líderes comunitários serão Brasília Teimosa, Redinha, Nova República e Cidade da Esperança. Outro ponto abordado pelos membros da mesa foi à importância do projeto para o judiciário.

De acordo com o representante do CNJ, Cláudio Viana, a conciliação não foi pensada apenas para desafogar o número de processos. "É uma política para trazer solução adequada para os conflitos a partir da reflexão e responsabilização com nova forma de se resolver as questões com uma lide não processual, mas sociológica. Os advogados são essenciais para que essa forma de lidar com os conflitos deem certo", disse.

Estiveram presentes a Diretora Administrativa do NUPEMEC do TJRN, Elanne Canuto, a Juíza Federal, Gisele Leite, o professor de Mediação Judiciado do TJRN, Carlos Viana, o representante do PGE/RN, José Duarte Santana, a representante da Defensoria Pública, Fabrícia Gaudêncio, o Presidente da ACOMFERN, Leopoldino Luiz Soares, representantes da OAB, além de líderes comunitários e interessados no assunto.